M-E-D-O!! / Post this

She’s gone.

A cantora Amy Winehouse, que a alguns anos ressuscitou o olho gatinho e o cabelo com topete, foi encontrada morta em sua casa, em Londres, neste sábado (23), segundo o jornal britânico Sky News. Dona de uma voz rouca e potente, tinha 27 anos e um histórico de envolvimento com álcool e uso de drogas. A polícia já confirmou sua morte.

A turnê da cantora passou pelo Brasil em janeiro deste ano, com shows em Florianópolis, Rio de Janeiro, Recife e São Paulo.

Depois de um tempo ”limpa”, Amy voltou aos vícios. No mês passado, a cantora britânica abandou uma turnê pela Europa após ter sido vaiada durante show na Sérvia por aparentemente estar bêbada demais durante a performance.

Durante 90 minutos, Amy balbuciou partes de suas canções e deixou o palco várias vezes, enquanto a banda continuava o show.

Confira algumas imagens da trajetória de Amy, a menina que se perdeu no meio do caminho:

… e parece que nem o silicone deixou ela mais feliz  :/

.. back to black,

xoxo.

—————————–

British singer Amy Winehouse has been found dead at her flat in London.

The 27-year-old was reportedly found by cops following a call to emergency services on Saturday afternoon. Her death is being treated as “unexplained,” according to reports.

The star had a long and highly publicized battle with alcohol and drug addiction throughout her career and often sought help from rehabilitation clinics.

Her battle with drugs is believed to have stemmed from the death of her beloved grandmother, and later her relationship with Blake Fielder-Civil, who she married in May 2007. They later divorced.

Famed for her iconic beehive hairstyle and heavy make-up, Winehouse’s 2003 debut album Frank was nominated for the Mercury Prize. In 2006, her follow-up Back to Black won six Grammy award nominations and five wins. Other honours included a Brit award and three Ivor Novello Awards.

In recent years, she has spent time in the Caribbean attempting to overcome her demons, but a comeback tour was scrapped in June after a disastrous opening gig in Serbia where the seemingly drunk star stumbled around the stage, slurred her songs and stormed off several times.

Winehouse was last seen in public earlier this week when she joined her goddaughter Dionne Bromfield onstage at the iTunes Festival in London.

Winehouse’s father, Mitch, was believed to be onboard a flight back to Britain from the U.S on Saturday.

—————————–

PS da blogueira

Amy morreu com 27 anos, idade que por coincidência ou não, outros muitos símbolos da música faleceram. Confira!

Divulgação

Janis Joplin (19/1/1943 – 4/10/1970)

A eterna rainha do blues rock lançou maravilhas como Cheap Thrills (1968) e Pearl (1971). No palco, a cantora americana arrasava, deixando a plateia com o queixo caído. Seu temperamento era bem difícil. Foi vítima de uma overdose acidental, quando estava no final das sessões de gravação de Pearl. Cantava muito! Sua voz vinha do fundo da alma.

Jim Morrison (8/12/1943 – 3/7/1971)

Um dos grandes poetas do rock e totalmente imprevisível: era capaz de fazer shows maravilhosos ou horríveis, conforme o seu humor. The Doors (1967), Strange Days (1967) e L.A. Woman (1971) são alguns de seus melhores discos com os Doors. Era considerado o grande símbolo sexual do rock, nos anos 60, o que o irritava. Tinha um vozeirão. Vítima de overdose acidental.

Jimi Hendrix (27/11/1942 – 18/9/1970)

Ainda hoje considerado o maior guitarrista da história do rock, gravou discos espetaculares, como Axis Bold As Love (1967) e Electric Ladyland (1968). No palco, ele pôs até fogo na guitarra, e de verdade! Usava drogas e bebia como se não houvesse amanhã. Morreu sufocado no próprio vômito, após uma mistura de comprimidos e bebidas alcoólicas.

Brian Jones (28/2/1942 – 3/7/1969)

O guitarrista criou e deu o nome a uma banda lendária, The Rolling Stones. O grande músico acabou mergulhando nas drogas e sendo mandado embora do próprio grupo por Mick Jagger. Foi encontrado morto em sua piscina, afogado, apenas um dia depois de ser demitido. Tem gente que até hoje acha que ele foi assassinado. Jones foi o primeiro roqueiro famoso a morrer com 27 anos.

Kurt Cobain (20/2/1967 – 5/4/1994)

O maior mito do rock nos anos 90. Cantor, compositor, guitarrista e líder do grupo americano Nirvana, que lançou os brilhantes Nevermind (1991) e In Utero (1993). Não soube lidar com o sucesso, e seu fim foi trágico: estourou os miolos em sua própria casa. Fez shows cheios de altos e baixos no Brasil com o Nirvana em janeiro de 1993, e até gravou em um estúdio carioca.

Richey Street (22/12/1967 – 14/2/1995)

Ele era o letrista e o guitarrista base dos Manic Street Preachers, uma das principais bandas inglesas da década de 90. Intelectual e doidão, chegou a usar uma camiseta com a frase “kill yourself” (mate-se, suicide-se). Um dia antes de a banda viajar para os Estados Unidos, ele simplesmente sumiu. Do nada. E nunca mais foi encontrado.

Robert Johnson (8/5/1911 – 16/8/1938)

O cantor, compositor e violonista americano é considerado o legítimo avô do rock and roll. Reza a lenda que ele teria vendido a alma para o capeta para se tornar um excelente violonista, cantor e compositor, e que morreu tão cedo justamente por causa disso. Teria o diabo vindo cobrar a dívida? Oficialmente, foi vítima de envenenamento. Ídolo de Eric Clapton e inúmeros outros roqueiros famosos.

Alan “Blind Owl” Wilson (4/7/1943 – 3/9/1970)

O Cannet Heat foi uma das principais bandas de blues rock americanas dos anos 60, e Alan era seu guitarrista. O cara sabia tudo de blues, e conhecia a obra de cada grande nome do gênero. Future Blues (1968), melhor disco do grupo, teve grande participação de Alan. Ele foi encontrado morto pelos colegas de banda, vítima da mistura de duas garrafas de gin com comprimidos.

Kristen Pfaff (26/5/1967 – 16/6/1994)

Kristen Pfaff tocou baixo com o Hole, banda liderada por Courtney Love, a mulher de Kurt Cobain. Ela entrou no grupo e participou de seu disco mais vendido, Life Through This (1994). Reza a lenda que a moça teria tido um rápido caso com Kurt. Em trágica coincidência, Kristen também foi encontrada morta, vítima de overdose, e também aos 27 anos de idade, dois meses depois de Cobain.

Gary Thain

Gary Thain (15/5/1948 – 8/12/1975)

O baixista inglês é até hoje considerado um dos melhores da história do heavy metal, e viveu seus anos de ouro como integrante do Uriah Heep, participando de CDs como Demons And Wizards (1972). A coisa ficou feia para ele a partir de setembro de 1974, quando foi eletrocutado em cena. Conseguiu sair vivo, mas sua vida nunca mais foi a mesma. Foi demitido do Uriah Heep e, deprimido, morreu de overdose.

Ron “Pigpen” Mckernan (8/9/1945 – 8/3/1973)

McKernan era tecladista do Grateful Dead, uma das bandas mais malucas e experimentais da geração hippie. Ele era quem mais aparecia nos shows, pois sabia prender a atenção do público. Infelizmente, também bebia como se não houvesse amanhã, e morreu vítima de uma hemorragia gastrointestinal, que ganhou ao encher tanto a cara.

Pete Ham (27/4/1947 – 24/4/1975)

Cantor, compositor e guitarrista do grupo inglês Badfinger, que soube como poucos se valer da influência dos Beatles e lançou trabalhos maravilhosos como Straight Up (1971) e Wish You Were Here (1975). Seu rock era melódico e contagiante, uma delícia de se ouvir. Sacaneado pelo empresário, ficou desesperado e em situação financeira lamentável. Acabou se suicidando.

Chris Bell (12/1/1951 – 27/12/1978)

O cantor, compositor e guitarrista americano era outro que aproveitou muito bem as influências dos Beatles. Ao lado do cantor, compositor e músico Alex Chilton, integrou a banda Big Star, que vendeu poucos discos mas influenciou inúmeros outros grupos de rock, como R.E.M. e Oasis. A falta de sucesso comercial lhe rendeu forte depressão. Morreu vítima de um acidente de carro.

D Boon (1/4/1958 – 22/12/1985)

O cantor, compositor e guitarrista americano liderou o Minutemen, que não vendeu muitos discos, mas que era adorado pelos outros músicos. Ele ficou na posição de número 89 entre os melhores guitarristas de todos os tempos, em votação feita pela revista americana Rolling Stone. D Boon morreu em um acidente de carro, no qual não estava usando o cinto de segurança.

Pete de Freitas (2/8/1961 – 14/6/1989)

Pete de Freitas foi considerado um dos melhores bateristas do rock dos anos 80, e tocava com o Echo & The Bunnymen. Esteve com a banda quando eles tocaram no Brasil pela primeira vez, em 1987, em shows antológicos. Participou de discos ótimos, entre eles Ocean Rain (1984) e Echo & The Bunnymen (1987). Morreu em um acidente de moto.

Coincidência ou não, fato.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s